6 de fevereiro de 2012 | 1 Comentário »

Enviei uma mensagem aos céus
Para poder te encontrar
E poder falar todas as juras de amor que ficaram sem voz
Poder atroz de voltar ao passado e poder dizer que
Teu sorriso me enebria e me enche de alegria
Teu olhar me enfeitiça e me faz criança,
Tua força me faz vibrar e me preencho toda de ti
Continue Lendo »

Postado em Minhas poesias
30 de janeiro de 2012 | Não Comentado »

Nestes versos, expresso
Todo amor e agonia, dor vazia
O conflito entre a mente e a mão
Que delineia em expressão o que me vai  n’alma.
Neste cruzeiro introspectivo encontro verbos e adjetivos
para descrever minha comoção.
Sem sentido e sem ternura vão linhas de verdades nuas
E no fundo d’alma, obscuros sentimentos escondidos e revolvidos,
vão descortinando-se neste encontro entre intelecto e emoção,
Pululam palavras soltas para dar vazão ao coração.

Nesta viagem vou me entorpecendo de eu mesma ,
encontro apocalíptico,
Busco no vernáculo o conforto, confronto último
Entre razão e ser
Desfiladeiro de sentimentos, desabrocho em palavras
as idiossincrasias do meu viver.

 

Postado em Minhas poesias
5 de dezembro de 2011 | Não Comentado »

De onde vens ó poeta errante?
Vens de terras longínquas
De terras insondáveis
Habitadas por ideias oblíquas
Sentimentos exaltados
De contrastes intermináveis

Continue Lendo »

Postado em Minhas poesias
17 de fevereiro de 2011 | 1 Comentário »

Vivências

O que sei sobre a vida? Quase nada…
Mas arrisco em dizer que vivo.
Mas viver é o suficiente para deslindar a vida?
Também não sei.
Mas continuo vivendo mesmo assim
Continuo buscando.
Caminho, amo, caio, levanto-me,
Só assim vivo mais um pouco e descubro os encantamentos do viver.
No caleidoscópio que é a vida, vivo!
Vivencio nos outros e com os outros seus  universos e no  humano me encontro e muitas vezes me perco.
Neste dialético movimento de ida e vinda entre mim e o outro, vivo!
E percebo que para cada dia há os seus espinhos, suas dores, suas flores,
Seus sabores, seus saberes, seus amores.

Postado em Minhas poesias
13 de fevereiro de 2011 | Não Comentado »

O poema Indiscreta de minha autoria, foi selecionado para participar do livro de Antologia do  Prêmio Literário Valdeck Almeida de Jesus 2010. Os autores selecionados aparecem em ordem alfabética neste link. Continue Lendo »

Postado em Minhas poesias