30 de janeiro de 2012

Nestes versos, expresso
Todo amor e agonia, dor vazia
O conflito entre a mente e a mão
Que delineia em expressão o que me vai  n’alma.
Neste cruzeiro introspectivo encontro verbos e adjetivos
para descrever minha comoção.
Sem sentido e sem ternura vão linhas de verdades nuas
E no fundo d’alma, obscuros sentimentos escondidos e revolvidos,
vão descortinando-se neste encontro entre intelecto e emoção,
Pululam palavras soltas para dar vazão ao coração.

Nesta viagem vou me entorpecendo de eu mesma ,
encontro apocalíptico,
Busco no vernáculo o conforto, confronto último
Entre razão e ser
Desfiladeiro de sentimentos, desabrocho em palavras
as idiossincrasias do meu viver.

 

Deixe um comentário